Trabalhos de Estudantes  

Trabalhos de Biologia - 12º Ano

 

Ficha do trabalho:

Métodos e Técnicas de Diagnóstico Pré-Natal

Autores: Anónimo

Escola: Escola não identificada

Data de Publicação: 13/12/2005

Resumo: Trabalho sobre as diferentes técnicas e métodos de diagnóstico pré-natal, realizado no âmbito da disciplina de Biologia.Ver Trab. Completo

Classifique este trabalho:

0 visualizações

Comentar este trabalho / Ler outros comentários

Se tens trabalhos com boas classificações, envia-nos pois só assim
o nosso site poderá crescer.

 

 

 

.

Métodos e Técnicas de Diagnóstico Pré-Natal

Introdução

Afim de garantir a sua presença em gerações futuras, o ser Humano tem de se reproduzir. Este reproduz-se por reprodução sexuada, em que há a intervenção de dois indivíduos de diferentes sexos e com diferentes gâmetas obrigatoriamente. Os seus gâmetas fundem-se na fecundação e a partir daí gera-se um novo ser. Essa nova célula formada, o ovo ou zigoto, experimenta diversas divisões, ate que atinge o estado de blastocisto e está preparado para se fixar no útero materno. Este fixa se no útero materno e desenvolve-se e formando três camadas (Ectoderme, Mesoderme e Endoderme) que vão, futuramente, dar origem aos órgãos, tecidos, músculos, sistemas e esqueleto. A partir do embrião também se vão formar diversas estruturas designadas por anexos embrionários, e são o âmnio, o córion, vesícula vitelina e o alantóide.

O córion é uma membrana extra-embrionária, mais exterior que o âmnio, rodeia o embrião de forma a protegê-lo, e futuramente, vai se diferenciar em placenta.

O âmnio é uma membrana que rodeia a cavidade amniótica, preenchida por um líquido designado por líquido amniótico. Esta estrutura, tal como o córion, vai proteger o embrião da dessecação, dos choques e permite também a manutenção de uma temperatura constante.

A vesícula vitelina e o alantóide vão, futuramente integrar-se no cordão umbilical, contribuindo para a formação de glóbulos sanguíneos e formação de vasos sanguíneos.

É através destas estruturas extra embrionárias que vai ser possível o diagnóstico de possíveis doenças, deficiências ao nível da formação do novo ser, etc. Com o avanço da medicina e da ciência foram existindo cada vez mais técnicas e métodos de diagnóstico de anomalias fetais, e de doenças genéticas, do vírus da Sida, Síndrome de Down, entre outras.

Dentro dessas técnicas destacam-se diversas, com diferentes processos de aplicação, e com diferentes vantagens e consequências à sua realização. É sobre essas técnicas que nos propomos falar, e discutir as suas vantagens e desvantagens, a fim de decidir quais delas têm uma melhor aplicação.

Métodos de Diagnóstico Pré-Natal

Ecografia ou Ultrasonografia

A ecografia ou ultrasonografia (Fig. 1 e 2) é uma técnica de diagnóstico por imagem, baseada em certas propriedades físicas dos ultra-sons. Permite diagnosticar más formações fetais, bem como controlar o crescimento do feto ao longo da gravidez. É um método realizado com frequência ao longo da gravidez, servindo como um controle do desenvolvimento e evolução da gravidez. É realizado logo nas primeiras semanas da gravidez e por aí em diante até ao nascimento da criança.

Esta técnica apresenta diversas vantagens:

- Não agressiva nem para a mãe nem para o feto;

- Segura, uma vez que é realizada no exterior não se entrando em contacto com o feto;

- E com grande nível de aceitação pelas pacientes;

- O resultado é imediato;

- Permite um diagnóstico muito claro quanto à formação do feto.

Mas, tal como todas, apresenta também as suas desvantagens, mas mínimas:

- Exame muito demorado;

- E com grande custo económico.

Fig. 1: Ecografia a ser realizada

Amniocentese

A amniocentese (Fig. 3) é um teste realizado ao líquido amniótico que protege o embrião dentro do útero. Consiste na perfuração do abdómen até ao útero com uma seringa especial, e através de um ultra-som o medico evita entrar em contacto com o embrião. Retira-se assim parte do líquido para testes. Este liquido permite verificar se o embrião tem alguma doença ou problema de formação. Este tipo de teste realiza-se a grávidas entre as 15 e 18 semanas de gestação. 

Apresenta vantagens tais como:

- Avaliar problemas genéticos;

- Detectar defeitos na formação do embrião;

- Analisar infecções no líquido amniótico;

- Verificar o funcionamento dos pulmões;

- Detectar a presença de Síndrome de Down.

Além de algumas vantagens a amniocentese não é totalmente seguro, podendo haver alguns risos. De entre os quais se destacam:

- Perda de muito sangue;

- Processo doloroso;

- Infecções;

- Ferir o bebe, a placenta ou o cordão umbilical com a agulha;

- Rompimento da cavidade amniótica;

- Dores de parto e contracções precoces;

- Aborto.

 

Fig.3: Amniocentese

Biópsia de Vilosidades Coriónicas

Este tipo de teste consiste na recolha de vilosidades corionicas ou da placenta, cujas características genéticas são iguais ao do feto. Pode ser realizado a partir da 10ª semana de gestação.

È introduzida uma agulha muito fininha, guiada por ultra-som, através da parede abdominal da mãe, com anestesia local. A recolha de placenta ou vilosidades corionicas é feita longe do feto, não causando danos no bebé.

Tal como todas as técnicas, esta também apresenta as suas vantagens:

- É um método rápido e seguro;

- Os resultados obtêm-se em pouco tempo;

- Para a análise são necessárias mínimas quantidades de tecido;

- Detecção de alterações cromossómicas.

E apresenta também vantagens na sua realização:

- Mínimo risco de aborto;

- Exame doloroso para a mãe.

Coléta tríplice

A coleta tríplice consiste na recolha de sangue materno analisando três tipos de hormonas, cuja sua presença pode ou não indicar a possibilidade de doença e infecção do feto. Este teste não é invasivo, pois não utiliza meios que cheguem até ao espaço uterino directamente. Este teste pode ser realizado a partir da 15ª a 20ª semana de gestação. Não é um teste diagnóstico, mas sim um método de identificar gestantes de risco aumentado, porém sem o determinismo de que terão filhos com deficiências. É um teste preventivo e pode permitir identificar a presença de doenças tais como: Síndrome de Down e Trissomia do Cromossoma 18.

Este teste também apresenta as suas vantagens:

- Não é invasivo, uma vez que é realizado fora da cavidade uterina;

- Permite diagnosticar anomalias cromossómicas e preveni-las.

Não apresenta vantagens muito denotáveis.

Cordocentese

A cordocentese é um tipo de teste parecido com a amniocentese. Consiste na recolha de sangue do feto do cordão umbilical através de uma agulha orientado por ultra sonografia. Permite diagnosticar infecções do feto tais como: rubéola; anemia fetal e anemia metabólica; anomalias dos cromossomas. Este tipo de anomalias cromossómicas está associado á idade feto, ou seja quanto maior o tempo de gestação decorrido maior o rico. Este teste pode ser realizado a partir da 20ª semana de gestação.

As vantagens são:

- Diagnosticar as infecções do feto;

- Diagnosticar as anomalias cromossómicas.

As desvantagens são:

- Processo doloroso para a mãe;

- Risco de aborto.

Ultrasonografia 3D

A Ultrasonografia a três dimensões é um método semelhante à ecografia, mas neste é possível ter uma visão a três dimensões do feto, percepcionando melhor o seu tamanho, e também a percepção dos seus órgãos e seu tamanho. É um método relativamente recente, e aumentou a esperança da detecção de doenças muito precocemente e tratá-las.

As vantagens deste método são:

- Grande percepção do feto e dos seus órgãos;

- Detecção de anomalias na formação do feto e dos seus órgãos;

- Método não doloroso para a mãe para o feto;

- Resultados na hora.

As desvantagens deste método são:

- Exame muito demorado;

- Exame com grande custo económico.

Amnioscopia

A cor que apresentam as águas amnióticas oferece uma valiosa informação sobre a saúde do feto. Se são de cor clara, significa que o feto está bem. Quando o líquido é escasso, verde ou sanguinolento, é sintoma de que algo vai mal e procede-se à indução do parto. A amnioscopia consiste na introdução por via vaginal de um tubo estreito e comprido, o amnioscópio, e graças a uma pequena lanterna introduzida no tubo, pode-se observar o liquido amniótico sem o risco de romper a bolsa amniótica. Este teste permite assim analisar a cor do líquido amniótico, e verificar se há alguma anomalia com o feto.

A amnioscopia pode ser realizado no final do período de gestação ou início do parto. Muitos médicos realizam este teste no começo da dilatação.

As vantagens do método são:

- Diagnóstico da saúde do feto;

- Processo não doloroso para o feto;

- Não corre o risco de aborto.

As desvantagens são:

- Processo doloroso para a mãe.

Cardiotocografia

A cardiotocografia é um teste que estuda a estrutura biofísica do feto, através de um aparelho, o cardiotocógrafo. Este aparelho permite registrar os batimentos cardíacos do feto, sua movimentação e a contracção uterina. O resultado deste teste é parecido com o electrocardiograma, podendo-se avaliar se o feto tem insuficiência na oxigenação cerebral; posicionamento do cordão umbilical, ou seja se este esta enrolado no pescoço do feto. È aplicado a partir do 7º mês de gestação ou durante o trabalho de parto. 

As vantagens são:

- Pré-diagonóstico de possíveis doenças que o indivíduo poderá ter;

- Prevenção do parto e da técnica que terá de ser utilizada.

Conclusão

A partir da realização deste trabalho é possível resumir todos os métodos de modo a analisá-los de maneira mais fácil.

 

Resumo dos Métodos de Diagnóstico Pré-Natal

Métodos

Vantagens

Desvantagens

Realização

Ecografia

Não agressiva; segura; grande nível de aceitação pelas pacientes; resultado é imediato; diagnóstico muito claro quanto à formação do feto.

Exame muito demorado; com grande custo económico.

 

Nas primeiras semanas até ao nascimento

Amniocentese

Avaliar problemas genéticos; detectar defeitos na formação do embrião; analisar infecções no líquido amniótico; verificar o funcionamento dos pulmões; detectar a presença de Síndrome de Down.

Perda de muito sangue; processo doloroso; infecções; ferir o bebe, a placenta ou o cordão umbilical com a agulha; rompimento da cavidade amniótica;

Dores de parto e contracções precoces; aborto.

Entre as 15 e as 18 semanas

Biópsia de Vilosidades Coriónicas

Rápido e seguro; Os resultados obtêm-se em pouco tempo; São necessárias mínimas quantidades de tecido; Detecção de alterações cromossómicas.

Mínimo risco de aborto; Exame doloroso para a mãe.

A partir das 10 semanas

Coléta Tríplice

Não é invasivo, uma vez que é realizado fora da cavidade uterina; Permite diagnosticar anomalias cromossómicas e preveni-las.

---------------------

A partir das 15 semanas

Cordocentese

Diagnosticar as infecções do feto; Diagnosticar as anomalias cromossómicas.

Processo doloroso para a mãe; Risco de aborto.

A partir das 20 semanas

Ultrasonografia 3D

Grande percepção do feto e dos seus órgãos; Detecção de anomalias na formação do feto e dos seus órgãos; Método não doloroso para a mãe para o feto; Resultados na hora.

Exame muito demorado;

Exame com grande custo económico.

 

Nas primeiras semanas até ao nascimento

Amnioscopia

Diagnóstico da saúde do feto; Processo não doloroso para o feto; Não corre o risco de aborto.

Processo doloroso para a mãe.

Final do período de gestação

Cardiotocografia

Prevenção do parto e da técnica que terá de ser utilizada.

--------------------

A partir dos 7 meses

Apesar do avanço médico e científico, e da existência destas técnicas todas, é necessário que a grávida tenha em mente alguns cuidados que vão ajudar ao bom desenvolvimento do seu feto.

- Alimentação: é importante para o desenvolvimento do feto; ingestão de proteínas, vitaminas, cálcio e fósforo, iodo e ferro.

- Evitar a fadiga;

- Actividade física moderada;

- Não fumar bem consumir bebidas alcoólicas;

- Tratar das manifestações físicas próprias da gravidez

- Tratar de doenças existentes

- Os exames radiológicos devem ser evitados, especialmente aqueles com maior tempo de exposição ao Raio X

Bibliografia

- SILVA, Amparo; SANTOS, Maria; MESQUITA, Almira; BALDAIA, Ludovina; FÉLIX, José; Terra, Universo de Vida, Biologia 12ºano; Porto Editora; 2005, pp. 34 a39;

- Caderno Diário;

- http://www.google.pt

- http://www.aborto.com/

Outros Trabalhos Relacionados

Ainda não existem outros trabalhos relacionados