Início > Trabalhos de Estudantes > Educ. Física > 11º Ano

Trabalhos de Estudantes

Trabalhos de Educ. Física - 11º Ano

Danças Clássicas

Autores: João Brites

Escola: Escola Secundária do Restelo

Data de Publicação: 02/11/2007

Resumo do Trabalho: Trabalho realizado no âmbito da disciplina de Educação Física (11º ano) e dedicado ao tema "As Danças Clássicas". Ver o Trabalho Completo

Comentar este trabalho / Ler outros comentários

Se tens trabalhos com boas classificações, envia-nos, de preferência em word para notapositiva@sapo.pt pois só assim o nosso site poderá crescer.

 

 

Danças Clássicas

Introdução

Tentei neste trabalho levar o leitor a compreender os diferentes tipos de dança clássica e em que medida são diferentes.

Tentei levar o Leitor a perceber que não é apenas uma questão de compasso e de movimento no momento certo, mas sim que é o resultado de muita dedicação aliada à técnica, à expressividade, à coordenação e representação do par. Espero que este trabalho tenha servido os objectivos propostos e que proporcione uma leitura agradável e informativa.

Toda a pesquisa que efectuei teve em conta os seguintes objectivos:

. Ajudar a compreender os diferentes tipos de dança clássica;

. Estimular a prática da actividade;

. Dar conselhos práticos para uma postura correcta enquanto se dança.

Em anexo a este trabalho está um CD com dois exemplos de cada tipo de dança clássica, pela seguinte ordem:

1. Valsa (a Valsa Vienense e a Valsa Inglesa têm o mesmo compasso)

2. Slow Foxtrot (Ou Slow Fox)

3. Quick Step

4. Tango

As Danças Clássicas

O que são:

As Danças Clássicas constituem uma das modalidades das Danças de Salão e incluem cinco diferentes tipos de dança: a Valsa Vienense, a Valsa Inglesa, o Slow Foxtrot, o Quick Step e o Tango.

Modalidades de Dança de Salão:

. Latinas: Samba, Cha cha cha, Rumba, Paso-Doble e Jive.
. Clássicas: Valsa Vienense, Valsa Inglesa, Slow Fox, Quickstep e Tango.
. Sociais: Salsa, Merengue.

Como Surgiram:

As Danças Clássicas tiveram diferentes origens, e cada uma teve uma história diferente que lhe foi dando as características que elas têm na actualidade.

Como surgiu a Valsa Vienense

A Valsa Vienense é uma dança com origem em danças camponesas tradicionais austríacas. Foi introduzida em Paris, em 1775, denominada como Valsa Vienense. Inventada pela nobreza, como diversão para as ocasiões festivas.

A palavra tem origem no alemão Walzen, que significa girar ou deslizar.

Como surgiu a Valsa Inglesa

A Valsa Inglesa teve as mesmas origens que a Valsa Vienense e já era dançada nas cortes europeias em meados do século XVIII. Constitui uma variação mais lenta da Valsa Vienense. A Valsa Inglesa apenas ganhou importância após a primeira Guerra Mundial, em Boston.

Como surgiu o Slow Foxtrot e o Quick Step

À semelhança do Quickstep, também o Slow Foxtrot vai buscar a sua raiz ao Foxtrot.
Harry Fox, introduzindo um passo diferente (tipo trote de cavalo) ao som de ragtime, acaba por ser o responsável pelo baptismo do Foxtrot. No entanto a forma definitiva do Foxtrot acabou por ser desenvolvida pelo par de dançarinos G.K.Anderson e a sua esposa Josephine Bradley.

Em 1922, os passos tipo trote foram substituídos por outros que exigiam menos vigor. Em 1927, o passo foi denominado Slow Fox devido aos seus movimentos mais suaves. Desde então, a dança foi desenvolvida a partir de duas formas: o Quickstep (o passo rápido) e o Slow Fox (passo lento).

Como surgiu o Tango

Na origem do Tango, como o conhecemos hoje, está a Milonga. Dançada nos cabarés dos cais de Buenos Aires, na Argentina, esta dança sofreu alterações até ser aceite como dança de salão na Europa, principalmente pelo cariz erótico que apresentava. A forma como era dançado e os seus passos foram suavizados de forma a se adequar aos salões europeus. É dançado de uma forma ligeiramente diferente das outras danças clássicas no que diz respeito à postura.

Características das Danças Clássicas

Características da Valsa Vienense/Valsa Inglesa

As principais características da Valsa são a antecipação inesperada do acompanhamento na segunda parte do compasso e as mudanças de ritmo e os tempos, às vezes angustiosamente lentos ou estrondosamente rápidos nas Codas (parte final da música). As "figuras" básicas usadas na construção da coreografia desta dança baseiam-se num esquema em diagonal que resulta numa progressão suave e leve em volta da pista de dança no sentido contrário ao dos ponteiros do relógio.

As ondulações graciosas e rápidas mudanças na velocidade do corpo são conseguidas da seguinte forma: O primeiro tempo de cada compasso é dançado com uma forte oscilação do corpo, acumulando depois essa energia num movimento de vaivém em direcção ao centro das rotações elevando-se nas pontas de ambos os pés durante o segundo e terceiro tempos do compasso da música. Em cada batida rítmica é dado um passo.

A diferença entre a Valsa Vienense e a Valsa Inglesa

A Valsa Vienense tem 60 compassos por minuto. Tem um compasso ternário ¾ – Três batidas num compasso, sendo a primeira forte e a segunda e terceira fracas.

A Valsa Inglesa tem um ritmo mais lento (que foi diminuindo gradualmente ao longo do tempo), mas que mantém o compasso ¾.

A valsa lenta ou inglesa é em muitos aspectos semelhante à vienense, no entanto sua lentidão tem uma finalidade: a possibilidade de incorporar mais movimentos entre as diferentes coreografias, que devem ser sempre interpretadas, e nunca realizadas mecanicamente. Na valsa inglesa, essa lentidão também permite manter os pés mais distantes assim como dar passos maiores.

Características do Slow Foxtrot

O Slow Foxtrot é dançado num estilo de baile normal fechado. Isto inclui o uso de contacto de corpo a corpo. Em posição fechada o homem coloca-se em frente da senhora, ligeiramente à esquerda. São unidas a mão direita da senhora e a mão esquerda do homem – a mão deve estar aproximadamente ao nível dos olhos da senhora. A mão direita do homem é colocada na omoplata da senhora, com o braço esquerdo da senhora a descansar facilmente no direito dele. A armação de dança resultante deverá ser robusta, mas relaxada e ausente de tensão ou de stress.

Movimentos:

Os passos para a frente são feitos normalmente, primeiro com a base do pé em contacto com o chão, e só depois a ponta do pé. Para trás são dados os passos, primeiro com a ponta do pé, e só depois com a base do pé.

Contra-Body Movement (Movimento de contra-corpo): Passo suave e típico das Danças de Salão: é o passo usado para começar a maioria dos movimentos de rotação.

Rise & Fall: A "subida e descida" está presente no Foxtrot, embora de uma forma mais subtil do que na Valsa.

Sway Sway (Balanço de balanço): É definido pela inclinação do corpo normalmente quando existem movimentos para o lado.

Características do Quick Step

O Quickstep é uma dança leve, vivaz, alegre, com saltos, pulos, e com voltas a esquerda e direita e atrás.

Embora os passos sejam ligeiramente simples, esta modalidade requer uma elevada compreensão entre o par de dançarinos. A senhora deverá ser sensível à condução do homem e estar atenta às mudanças de direcção do seu par.

Postura Masculina: Deve estar numa posição natural com os joelhos ligeiramente reflectidos. Inclinando o seu corpo ligeiramente para a frente acima da cintura e mantendo os seus ombros relaxados. Todo o peso do corpo deverá estar na ponta dos pés.

Senhora: A postura deverá ser igual à descrita para o homem, no entanto o corpo da senhora deve estar ligeiramente inclinado para trás da cintura. E esta deverá estar à direita do homem.

Técnica de Dança: O Homem coloca a mão direita na senhora ligeiramente debaixo do ombro esquerdo dela – os dedos deverão estar unidos. A parte superior do braço direito, do ombro para o cotovelo, devera estar ligeiramente inclinado, do cotovelo para a palma, deverão estar paralelos com o chão. A mão esquerda segura a mão da senhora de forma que os dedos dela estejam colocados entre o dedo polegar e dedo indicador. O homem cobre os dedos da senhora do lado direito. A palma esquerda não devera ser dobrada para dentro, devera haver uma linha direita do cotovelo à palma. A palma deveria estar diagonalmente ao chão. A mão deverá estar ao mesmo nível com a orelha esquerda. A mão esquerda da senhora descansa ligeiramente na mão direita do homem. Os dedos da mão esquerda estão juntos debaixo do ombro direito do homem (dependendo da altura do homem). Ver imagem no topo da página.

Características do Tango

Existem numerosos estilos de Tango actualmente, como por exemplo o Tango Argentino, o Tango de Salão (Estilo americano e internacional), o Tango Finlandês, o Tango Chinês, entre outros. O Tango Argentino é considerado como sendo o “autêntico” tango, já que é o mais parecido com o que se dançou originalmente em Buenos Aires, Argentina.

O Tango é dançado normalmente em linha, numa posição cerrada, peito com peito, ou face encostada (cara a cara). No entanto, o Nuevo Tango permite dançar numa postura aberta.

Há qualquer coisa muito especial no Tango. Transmite uma atmosfera de expectativa tensa. As entrecortadas desta música, combinando-se em fluentes crescendos, suaves mas firmes, criam um tom dramático e furtivo entrelaçado de fortes contrastes, que se repetem constantemente e que necessitam de uma grande capacidade de improvisação.

O segredo para captar o sentimento do Tango reside em adoptar a postura correcta e conseguir executar os alusivos movimentos de gato que o caracterizam. A coreografia é complexa e as habilidades dos bailarinos são celebradas pelos aficionados.

É importante dar grande atenção às posições relativas dos corpos quando se adopta a posição Inicial. Os dançarinos devem reparar que o ombro direito do Homem conduz e que, cada vez que os seus pés estão unidos, a ponta do pé direito fica junto a face interna do pé esquerdo (e vice versa para Senhora). O tango: romântico, dramático, exótico, sofisticado e simples é caracterizado por um compasso 2/4 que é tocado com um staccato incomum em cada batida. O objectivo a atingir é o procedimento furtivo de predador, tanto para o homem, como para a senhora.

Conclusão

A dança, ao lado do teatro e da música, é uma das principais artes cénicas da Antiguidade e, por ser tão antiga, é muito difícil explicá-la. Tentei neste trabalho não só dar relevo à parte técnica, como também procurei explicar que estes tipos de dança, cada um à sua maneira, representam sentimentos e estilos de vida muito diferentes. Espero tê-lo conseguido.

Bibliografia

Na elaboração deste trabalho recorri a muitos sites diferentes, que passo a citar:

. http://pt.wikipedia.org/wiki/Dan%C3%A7a – A dança como uma das mais antigas artes cénicas.

. http://dancasdesalao.blogs.sapo.pt/5381.html – Postura nas Danças de Salão

. http://dancadesalao.blogsome.com/ e http://caprichobejense.com/dancas-de-salao-beja.html – As Danças Clássicas

. http://www.pasiontango-belgrade.com/pt/historiadotango.asp – A história do Tango

. http://academiaexpressao.com/tango.html – Características das Danças Clássicas

Recorri também à Diciopédia 2003 para saber o significado de algumas palavras, como por exemplo, a palavra “coda”.

E, por último, utilizei o motor de busca GOOGLE (www.google.com) para encontrar imagens representativas das diferentes modalidades de Danças Cláss

 

 

Outros Trabalhos Relacionados

Ainda não existem outros trabalhos relacionados

 

Início > Trabalhos de Estudantes > Educ. Física > 11º Ano